SONILS obrigada a reduzir 250 trabalhadores até final do ano

A operador de terminal SONILS – Sonangol Integrated Services- irá reduzir  250 trabalhadores até final do ano, fruto do constante declínio dos níveis de actividade e dos indicadores financeiros da empresa, face ao contexto socio-económico que se verifica na indústria petrolífera.

 3S11010

De acordo com uma nota de imprensa submetida ao AngoRussia, a SONILS operador de terminal, designado pela Sonangol EP e pelo Porto de Luanda EP, para o desenvolvimento de uma base de apoio a indústria de petróleo e gás deu a conhecer que irá desvincular-se de colaboradores efectivos, nacionais e estrangeiros, e também dos colaboradores emprestado por outras empresas.

“Em virtude do contínuo declínio dos níveis de actividade e dos indicadores financeiros da empresa, face ao contexto socio-económico que se verifica na indústria petrolífera, e outros aspectos como a baixa de produtividade, a Direcção da SONILS viu-se obrigada a efectuar o reajustamento do quadro de pessoal ao nível de actividade actual, o que obriga a desvinculação de colaboradores efectivos, nacionais e estrangeiros, e também a dispensa de colaboradores pertencentes as empresas de cedência de trabalho temporário ao serviço da SONILS, perfazendo um total de 250 pessoas”, lê-se na nota.

Ainda segundo o documento, os funcionarios já começaram a ser notificados sobre a decisão da operadora de terminal.

“O processo de notificação dos colaboradores afectados, teve início no mês de Novembro e está a decorrer conforme a planificação efectuada, estando salvaguardado o pagamento das indemnizações aos colaboradores, em conformidade com os pressupostos da Lei Geral do Trabalho em vigor.”

Esta situação é de todo lamentável para a SONILS que envidou todos os esforços para evitar este triste desfecho. Porém, o actual contexto económico que o país continua a atravessar e, particularmente o sector petrolífero, forçou a tomada de tal decisão, para salvaguardar não só a continuidade da actividade operacional da empresa como também dos restantes postos de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *