Diplomatas consideram Kundi Paihama ilustre filho da nação

Luanda – O general Kundi Paihama, falecido sexta-feira, em Luanda, é um ilustre filho da nação, cuja perda é irreparável, reconheceram, neste domingo, os embaixadores de Angola na Suíça e Portugal, em nota a que a Angop teve acesso.

Na comunicação de pesar, a embaixadora de Angola na Suíça, Cecília Rosário, exprime que com a morte de Kundi Paihama, Angola perde um dos seus melhores filhos, que dedicou abnegadamente a sua juventude às causas mais nobres do seu povo, destacando-se na luta pela independência e pela conquista da paz.

“Para nós, o General Kundi Paihama tornou-se por mérito próprio um símbolo de bravura e de coragem, pela sua dimensão política, militar e social que sempre o caracterizou”, reconheceu.

Por seu turno, o embaixador de Angola em Portugal, Carlos Alberto da Fonseca, considera o antigo ministro da Defesa “um dos mais ilustres filhos da Nação angolana”, cuja perda é irreparável.

Diz render homenagem “àquele que, pelos vincados traços de patriotismo, abnegação, coragem e sentido de justiça que sempre o caracterizaram como personalidade e na defesa e bem-estar dos angolanos, se tornou num dos mais proeminentes ícones do nacionalismo angolano”.

Pelos feitos, afirma que o malogrado se fez exemplo para as gerações presentes e vindouras.

Quem também se junta à dor da família enlutada é o partido PRS, que numa mensagem de condolências, destaca o facto de Kundi Paihama ter se dedicado  à causa de libertação do nação e da defesa da democracia, o que lhe permitiu ganhar título de nacionalista.

O PRS reconhece ter sido um “general destemido, combatente consistente e consequente, bem como um político simpático que sempre tratou os colegas da oposição como irmão”.

Kundi Paihama nasceu há 75 anos no município de Quipungo, província da Huíla, e foi governador das províncias do Cunene, Benguela, Luanda, Huambo e Huíla.

Da folha de serviço consta, também, os cargos de ministro da Segurança do Estado, Ministro de Estado para a Inspecção e Copntrolo Estatal, Coordenador do Conselho Militar Regional e do Órgão Político-Administrativo do Centro, Sul e Leste do país, entre outros cargos.

  • Adicione seu comentário