Lotti Nolika assume liderança do MPLA na província do Huambo

A eleição, cujos trabalhos foram testemunhados a partir de Luanda, capital do país, pelo coordenador do Grupo de Acompanhamento do Bureau Político do Comité Central à província do Huambo, Mário Pinto de Andrade, por vídeo-conferência, decorreu durante a IX Conferência Provincial Extraordinária, na qual participaram 587 delegados dos 11 municípios.

Os 587 delegados ao evento, realizado sob o lema “MPLA e os desafios do Futuro”, foram repartidos em três salas interligadas por vídeo-conferência, no quadro das medidas de prevenção e combate à gripe por coronavírus (covid-19).

Ao intervir no acto, momentos depois de assumir a liderança do partido no poder na província do Huambo, Lotti Nolika disse que longe de ser um privilégio, trata-se de uma grande responsabilidade, tendo em conta os desafios do presente e do futuro.

Por esta razão, disse que vai continuar a servir o partido com responsabilidade e determinação, com o compromisso de trabalhar para o bem-estar da população, de acordo o itinerário definido pelo MPLA, por altura da publicação do manifesto, em 1956, contendo os programas mínimos e maior.

“Se houver falhas, por favor, estejamos abertos a críticas construtivas, pois queremos uma liderança na qual todos se revejam e sintam a necessidade de participar no processo de consolidação da coesão dos militantes”, enfatizou a dirigente político-partidária.

A respeito dos assuntos políticos, económicos e sociais da comunidade, a também governadora da província do Huambo disse que ser importante “saber recordar quem somos, com quem estamos e para onde vamos, reforçando, esta razão, a vigilância comunitária, com denúncias àqueles que perturbam a ordem e a tranquilidade públicas”.

Constituição da Comissão Executiva

Paralelamente, os delegados elegeram o também membro do Comité Central Adérito Chimuco Samucamba para exercer as funções de 2º secretário do MPLA nesta província.

Deste modo, além da 1ª secretária e do seu adjunto, foram confirmados os militantes Daniel Maurício Soy, Departamento dos Assuntos Políticos, Eleitorais, Económicos e Sociais, Liziane Mbouanga Taty, Administração e Finanças, Ricardo Sambuanda, Informação e Propaganda, e Salukeny Daboita, coordenador da Comissão de Disciplina e Auditoria.

Entre os confirmados constam ainda os militantes Bibiana Nandombua (secretária provincial da OMA), João Kalupeteka Chieva (secretário da JMPLA) e Armando Capunda, coordenador do Gabinete dos Deputados do Círculo Eleitoral da província do Huambo.

O MPLA foi fundado aos 10 de Dezembro de 1956, na sequência da aglutinação das principais figuras do nacionalismo angolano, entre os quais estudantes e lutadores do colonialismo português.

Nas últimas eleições gerais de 23 de Agosto de 2017, o MPLA venceu por 3/2 no Círculo Provincial do Huambo, Planalto de Angola, com 347 mil e 763 votos, equivalente a 58,21 por cento, do total de votos validos (597 mil e 459), cabendo-lhe, por isso, três dos cinco assentos parlamentares locais.

  • Adicione seu comentário