Covid-19: Empreendedores inovam modalidade de venda

Malanje – Com vista a fazer face ao actual momento de incertezas devido à Covid-19, os empreendedores em Malanje estão a optar pelas modalidades de venda ao domicílio e online, para manterem os negócios a níveis razoáveis.

Os empreendedores descrevem o actual quadro como sombrio e sem precedentes, exigindo maior criatividade e capacidade de reinventar-se, de modo a não sucumbirem e pôr em risco todo um investimento até então feito.

Em declarações à Angop os empreendedores descrevem a entrega ao domicílio e vendas online como sistemas de comércio “virgens” ao nível da província, que aos poucos estão a ser explorados para expandir os negócios.

Segundo Olímpio Cacusso, proprietário da Garagem Bar, voltada essencialmente para venda de “fast food”, desde que foi decretado o Estado de Emergência, a 27 de Março último, regista-se uma significativa baixa nas vendas, tendo em conta as limitações impostas pelas autoridades, a fim de evitar a propagação da Covid-19.

De lá para cá, relata, vê-se forçado a enveredar pela entrega ao domicílio de produtos, tendo em conta os condicionalismos em termos de presença de clientes no recinto.

Apesar de não avançar o valor dos rendimentos, a fonte garantiu que tal mecanismo tem surtido efeito e melhorado significativamente o volume de receitas.

Disse que muitos empreendedores não tiveram a mesma visão e acabaram mesmo por falir, tendo sublinhado que, em função disso, criou recentemente uma plataforma digital para ajudar outros comerciantes a divulgarem os seus produtos e subsistir face ao actual contexto.

A mesma estratégia de entrega ao domicílio foi adoptada pelo Restaurante Triângulo, conforme descreve o seu gerente António Campos, referindo que o número de clientes decaiu consideravelmente, pelo que a alternativa tem sido o Take Away, sendo por meio do qual que o estabelecimento vai conseguindo alguns clientes, embora com muitas dificuldades.

Contou que antes do surto da Covid-19, grande parte dos clientes eram turistas oriundos de Luanda e que agora estão impossibilitados de escalar a província, por conta da cerca sanitária.

Por sua vez, a responsável de Marketing do Snackbar “Spar e Salão de Beleza Telma Fashion”, Daniela Jorge, frisou estarem muito focados no segmento de vendas online, através das redes sociais, de modo a aproximar os seus serviços aos potenciais clientes, sem descartar a entrega ao domicílio dos produtos do snack bar.

Considerou o Estado de Emergência como sendo o período que mais entregas registou, tendência esta que abrandou com o ligeiro desconfinamento, resultante da entrada em vigor do Estado de Calamidade Pública.

  • Adicione seu comentário