Internet: Angola conta com mais de seis milhões de usuários

Seis milhões 857 mil e 62 indivíduos fazem o uso do serviço de internet no país e o sector da telefonia móvel conta com mais de 14 mil subscritores das redes da Movicel e Unitel, respectivamente.
Esse dado foi avançado hoje, sexta-feira, à imprensa, pelo director nacional das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Matias Borges, durante um fórum virtual sobre a “Massificação da Banda Larga Após Covid-19”, uma promoção do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (Minttics).
O director nacional fez saber ainda que a nível da rede fixa de telefonia a taxa de teledensidade no país é de 0, 41% da população e em termos de internet existem mais de seis milhões 857 mil e 62 usurários.
Ressaltou que a nível do país foram já instalados 22 mil quilómetros de fibras ópticas e as capitais das 18 províncias do país estão cobertas por sinal de telecomunicações, devido ao empenho das empresas públicas e privadas do sector.
Fez saber que a visão estratégica do Minttics para o país é continuar a desenvolver infra-estruturas de telecomunicações e comunicação, para ajudar a promover a boa governação, reforma do Estado e modernização da administração pública.
Referiu que o Minttics está a implementar acções no sentido de atender as necessidades da população e não deixar ninguém de fora no campo do serviço da comunicação electrónica, para isso pretende massificar e tornar mais robusta a banda larga.
“O objectivo é fazer com que toda a população possa beneficiar das vantagens das telecomunicações electrónicas, mesmo àquelas pessoas que vivem nas zonas mais recônditas do país”, sublinhou.
PONTO PÚBLICO DE ACESSO À INTERNET DE BANDA LARGA

PONTO PÚBLICO DE ACESSO À INTERNET DE BANDA LARGA

Frisou que as comunicações electrónicas, comunicações sociais, os serviços postais e meteorológicos são necessários para garantir que a população tenha acesso a dados e informações a qualquer momento, assim como permitir a continuidade das actividades de desenvolvimento em Angola.
Deu a conhecer da estratégia para aumentar a capacidade da banda larga no país que prevê continuar a desenvolver as infra-estruturas do sector, construir a rede nacional com cinco milhões 767 quilómetros de fibra e reparar um milhão 553 quilómetros de cabos.
Explicou que a rede de fibra óptica estará interligada com a infra-estrutura de mirco ondas, para tal numa extensão de 3211 quilómetros serão erguidos 113 sites.
Segundo o responsável, essas medidas constam do Livro Branco do sector das Telecomunicações, que é o documento criado pelo Governo onde estão as acções e políticas para o período 2019/2022.
Participaram do encontro responsáveis do Minttics e representantes de empresas públicas e privadas do sector das telecomunicações.
  • Adicione seu comentário